29 julho 2009

minha casa




Moro numa casa térrea, antiga, com um quintal bem grande, fora dos padrões das casas atuais. É nesse quintal que fazemos nossos encontros, festas, reuniões. Toda a família gosta muito desse quantinho. Tem uma área coberta, onde estão mesas, cadeiras, bancos, churrasqueira, armários, tudo enfim para essas reuniões, e também a máquina de lavar e tanque. Uma outra parte desse quintal, não tem cobertura. É onde bate bastante sol, claro que em dias com menos chuva que os atuais e onde passamos momentos ao sol, ou ao luar. Muito gostosa essa parte da minha casa. É cimentada, com excessão de uma brechinha, onde tem terra e eu coloco meus vasos de plantas. Um dia reparamos que nesse fiozinho de terra, perto dos vasos, estava nascendo uma plantinha. Começamos a cuidar dela e logo percebemos se tratar de uma pitangueira. Passou a ser a menina dos nossos olhos. Já cresceu, floresceu, deu pitanga aos montes, ficou só as folhas e agora está florida novamente. Ontem, por acaso, tirei uma foto de um galho bem carregadinho de flor. Mal sabia eu, que meia hora depois, uma chuva das fortes viria e derrubaria essas flores. O chão ficou coberto pelas florezinhas. Me deu uma tristeza danada. Mas por pouco tempo. Hoje, a pitangueira estava novamente florida e já tem pitanguinhas. Bem pequeninas, mas já estão lá. Firmes e lindas.

2 comentários:

Fla disse...

Me dá uma pitanga quando nascer?
Menina, sabe desde quando eu não como pitanga? Ahco que desde meus 10 anos de idade...
Morro de vontade e nunca acho para comprar.
Com uma só e você já faz uma pessoa feliz.
=)

Na Cozinha da Carina disse...

oie!
vim retribuir a visita e adorei seu blog!
tenho uma enorme vontade de ter um quintalzão tbem... é tão dificil hoje em dia!
E que sorte essa pitangueira heim? não encontro isso aqui desde que eu era pequena, morro de vontade de comer pitangas, :( ...
bjos