15 dezembro 2009

Meu dia, hoje

Estou as voltas com a confecção dos fios de luz, que garrei a fazer para dar de lembrança para muitas queridas minhas. Será um mimo, acompanhando umas outras lembrancinhas. Estão ficando lindos, modéstia à parte e quando terminar, tentarei postar uma foto aqui. À pouco, quando abri o portão para minha cadelinha Vivi, ir até o matinho fazer seu xixizinho básico, vi que vinha descendo a rua de casa, uma jovem mamãe com seus tres filhos. Uma menina de uns oito anos, outra menor de três ou quatro e um bonequinho louro, de cabelinho quase branco, ainda bebê, no carrinho. Ela, a mamãe é catadora de latinhas e não tendo onde ou quem deixar a prole, anda pelas ruas com essas crianças, para cima e para baixo, o dia inteiro. As crianças sempre estão muito limpinhas e alegres. Brincam muito entre elas. Conversam bastante com quem se dispõem a um dedo de prosa com elas. O pequenino, sempre no carrinho de bebê, faz sinal de positivo para todo mundo, com um sorriso que é de arrebentar corações. São lindos, todos eles. Para evitar avanços, ou cheirações, por parte da Vivi, a chamei para dentro quando a família estava próxima e esperei por ela para lhes cumprimentar. As meninas me falaram oi, o caçula me mandou o seu sinal característico e a mãe, mandou um boa tarde gostoso. Quando já estavam passando, a menininha do meio, me perguntou de surpresa, se eu não tinha nada para lhe dar. A mãe, se apressou em chamar-lhe a atenção, pois essa não é uma prática delas e por esse motivo mesmo, é para elas que sempre tenho uns pacotes de bolachas, umas guloseimas. Mas não tinha nada na hora, nenhum pacote de nada que pudesse fazer a felicidade das crianças, então lembrei de um pedaço de bolo gelado de coco, que ainda restava, delicioso por sinal, na geladeira. Perguntei se ela queria, ao que ela respondeu, que claro, queria sim. Entrei para buscar o bolo. Era um pedaço grande, daria para todos e ao me aproximar pude ouvir a mãe falar às crianças, que não iria faltar bolo no aniversário delas. Perguntei o que ela dissera ao que ela explicou, ser hoje o dia do aniversário das duas. Pedi que esperasse um pouquinho, entrei em casa, peguei pratinhos, garfinhos, copinhos e guardanapos descartáveis, uma vela, ainda que já usada, cor de rosa, uma caixa longa vida de suco, entreguei para a mãe e pedi que fizesse para as meninas uma imitação de festinha. Só por brincadeira. Ela então me falou que não seria imitação não, seria festa mesmo, pois essa seria a única com a qual as meninas iriam contar, pois estando na rua o dia todo não teria tempo para mais nada. Agradeceu e foram embora felizes. Eu mais ainda. Ganhei o meu dia. Nada como um momento após o outro. Antes um susto, com aquela tranqueira de gente, depois essa delícia de momento com essa família iluminada. Ô coisa boa que é essa minha vida. Muito Boa!!!!

4 comentários:

Glorinha Leão disse...

Que coisa linda pra acontecer justo numa época dessas...só podia ser vc esse ser iluminado de carinho e amor pelos outros...eu sinto isso...vc é mágica como o natal...Estória linda...mais uma, vai anotando aí pra quando escrever seu livro...
Beijos amiga, vc é de outro planeta..

Marly disse...

Olá, querida, Welze,
Você é "das minhas", não há dúvida. Que estória bacana, chega a ser emocionante!
Olha, se você copiou a receita do biscoito de Natal que postei hoje, faça-me o favor de desconsiderar a primeira instrução de rolar os biscoitos no açucar de confeiteiro, pois isso só é feito depois que eles assam. Esse lapso decorreu do fato de eu ter redigido o post altas horas da noite, estando sonolenta. É que alterei a redação do mesmo, sem suprimir aquela frase, que ficou solta. No final não deve dar muito diferença, mas seria um trabalho dispensável. Desculpe-me o equívoco, já o corrigi.
Beijinho.

Eliana Pessoa disse...

WELSE VOU FICAR ESPERANDO O LIVRO QUE VC VAI ESCREVER!VC NASCEU PRA ISSO ESCREVE MUITO BEM SAB NARRAR A HISTÓRIA DE MODO A PRENDER NOSSA ATENÇÃO,TEM GENTE QUE ESCREVE E Ñ SE CONSEGUE LER 3 FRASES ,JÁ VC!!!!!!!!!!E MARAVILHOSA JÁ ESTOU IMAGINANDO AQUELE LIVRÃO GROSSO CHEIO DE BELAS HISTÓRIAS.BEIJOS!!

Rachel disse...

Bravíssima, não se pode deixar passar um oportunidade como essa.
Deus quis dar um bolinho para as meninas e usou você Welze, ainda bem que você captou o pedido dele. Com certeza você fez as crianças muito felizes e a mãe delas também, por que qual mãe não quer fazer um bolinho pro seu filho, e ela com suas dificuldades não poderia. Bravo gesto!
Bjuss!!!