22 janeiro 2010

comportamento

É difícil encontrar uma pessoa que não tenha dívidas. Seja essa dívida de pequeno ou grande valor. Seja documentada através de carnês ou notas promissórias ou faturas ou de boca, por um compromisso assumido, como por exemplo, um empréstimo de uns trocados para uma emergência, ou por só estar com cartão e o lugar onde deveria pagar, não aceita o mesmo, ou você está na rua, passa alguém vendendo algo que lhe interessa e você pede o valor emprestado para pagar logo mais, ou esqueceu a carteira em outra bolsa, ou o produto a ser pago subiu de preço e faltou dinheiro, ou ainda, aquelas compras feitas de pessoas que vendem por catálogos, como bijuterias, roupas, maquiagens, utilidades para o lar, ou sei lá mais o que. A realidade é que, de um modo ou de outro, a gente sempre tem que pagar alguém. Isso é normal e saudável. Mas é normal também, pagar o que se deve a quem se deve. Eu costumo marcar em minha agenda com pelo menos um dia de antecedência, todo e qualquer pagamento. Meu e do bonitão. Não me lembro de ter atrasado a nenhum deles. Mas isso não ocorre com certas pessoas. Sou revendedora de produtos AVON, há quase dez anos e nesse período, já tive sérios desgastes emocionais por conta de dívidas que pessoas assumem, mas na hora de pagar, a conversa é outra. Como essa dívida não tem comprovante de que a pessoa me deve, sempre tenho mantido a conversa na boa, respeitando prazos em cima de prazos, que são renovados muitas vezes, para assim, ter uma chance de receber. É claro que, se perco com alguém, como raríssimas vezes em todos esses anos ocorreu, essa pessoa não consegue mais comprar nem amizade de mim. Só orações, para que nunca mais fique devendo pra ninguém. Mas existem aquelas pessoas, que estão com o dinheiro, e toda vez que vê você, fala que está precisando pagar você, está com o dinheiro em outra bolsa, mas já já que te paga. Tem aquelas que mudam de calçada quando você está indo na direção delas, tem aquelas que se você está num ponto do ônibus, onde elas iriam descer, só para não darem de cara com você, descem no próximo. Tem aquelas ainda, a quem você nem mesmo conhece e que compraram através de uma sua cliente. Aí a coisa é brava. É broca mesmo. Você não sabe o telefone da pessoa, onde mora, onde trabalha. Nada. Então tem que colocar sua cliente na roda e obter informações, correndo o risco de além de perder o dinheiro que a desconhecida lhe está devendo, perder também a cliente, por essa se sentir meio que culpada. É difícil. Estou com um problema parecido. Uma pessoa comprou por intermédio de uma conhecida, mas não há meios de me pagar. Isso se arrasta já há uns três meses. Descobri o telefone dela, mas ela identifica meus telefones, então nem se digna a me atender. Eu estou querendo receber, mas estou em paz. Mas ela, com certeza não está. Uma coisa eu aprendi com minha mãe. Se alguém se nega a lhe pagar, reze para um Santo de sua devoção, para ele ajudar aquela pessoa a se desembaraçar de seus problemas para poder lhe pagar. Eu não achava isso muito justo, mas com a idade a gente aprende que isso é bom. Além de você ter crédito com pessoas aqui na terra, ainda ganha uns do lado de lá. O remédio é continuar cobrando e rezando. Fazer o que?

2 comentários:

Anakoelho disse...

Oi Welze!
Lendo seu post me conformei por saber q. não sou a única a passar por isso.
Eu vendo as bijuterias q. faço.A pessoa veio em minha casa e levou
sem me perguntar se podia 52,00 de bijus.Fiquei sem saber dizer Não,com cara de tacho e lá se foi ela com as peças dizendo depois acerto c/ vc.E já se vão 4 meses,eu já usei de todos os meios e conversa possível e nada,eu já não sei o q. fazer.Faço pulseiras de tear com vidrilhos etc. e é trabalhosa como alguém pode fazer isso com a gente?Ando meio stressada comigo de não saber falar Não,não vendo fiado.Agora com esse cano,com certeza aprendo.
Abraço,desculpe pelo desabafo.


Ana.

Paula Pacheco disse...

Welze, isso é terrível, sei como vc deve se sentir em cobrar uma coisa que por direito é seu, e que pessoal mais cara de pau, infelizmente existem mais perto do que agente pensa, amigos, colegas, pareeentes...entende né.É muito chato agente cobrar, mesmo não sendo vendedora, agente acaba emprestando para um e outro, mas na hora de pagar parece que foi vc quem quis emprestar né amiga...
Mas já perdoei algumas dividas pois nem adianta mais cobrar hahahha
bjs
Paula