03 janeiro 2010

RECADO PARA MINHAS QUERIDAS

Olá minhas queridas. Não se preocupem não. Estou bem, só dei uma dasabafadinha. Mas, no frigir dos ovos, está tudo bem. É que estou pensativa, sabe quando você não consegue fazer o de sempre, no seu ritmo normal? Então acontece de pensar mais do que o normal. Então acontece essas coisas. Mas na verdade, são promessas, intenções que fiz para mim mesma, mas se prestarem atenção, não estou tão fora da casinha, como diz minha cucla. O normal é ser menos tolerante. Sou muito tolerante. O normal é ser menos disponível. Sou muito disponível. Meu bonitão e eu, muitas vezes, deixamos de fazer coisinhas entre nós e para nós, para prestarmos ajuda, ou favores a uma pá de gente, que nem sempre reconhece. ADORO ajudar. Faz parte de mim, mas como sempre digo, adoro receber um obrigado também. Mas quando você está sempre na hora de toda crise, sempre está muito presente em qualquer problema e é só olharem na sua direção e você já sai meio que sem fôlego pra correr em auxílio de neguinho, você fica meio sendo uma peça de ajuda, tipo arroz com feijão. Sabem que podem contar com você e nem pestanejam em querer auxílio de nossa parte. A gente está sempre alerta. Tudo bem, só que parando para pensar, percebo que nem sempre somos agraciados com um MUITO OBRIGADO, VALEU, ME AJUDOU MUITO, QUEBROU MAIOR GALHO. Simples assim. A gente faz tanto pelos outros que passam a pensar que já é obrigação nossa fazê-lo. Então é só isso. É claro que rolou uma ofensazinha básica, de uma pessoa que não esperava, mas como não deixo mais ninguém me fazer chorar se não for de alegria, as lágrimas de susto e chateação que derramei o ano passado, foram as últimas. Por esse motivo, não choro mais, nem ao menos me desabo a tecer comentários. É dar muito ibope para pessoas tranqueiras. Nem sei do que estou falando. Já esqueci. Fácil assim. Estou a mil por hora, com meu bonitão, com minhas crias e agregados. Então é isso que importa. Amanhã é dia de branco na folhinha, como dizia mamãe e eu estou forte robusta(demais até), e sã. Pronta para começar o ano com a cabeça cheia de planos, de alegria, de amor e leve como uma pluma(apesar do meu peso).Vai aí uma pitadinha de mau humor, mas será que certas pessoas também estarão assim, tão de bem com a vida como eu? Tenho certeza que não, afinal quem me conhece e conhece também a pessoa e soube do ocorrido por ela mesma ou por sei lá quem, está me carregando no colo, enquanto ela , colocaram na geladeira. Não fico feliz com isso, mas tem gente que só aprende se levar uns esbregues de vez em quando. Estou feliz da vida, com ano novo ou sem ele, com ceias ou sem elas, com fogos ou sem eles, pra mim, está sempre tudo divino maravilhoso. O carinho que tenho por vocês aumenta a cada dia e o respeito com que sempre quero recebê-las aqui, é cada vez maior. Tenham um bom início de semana e amanhã visitarei a cada um dos blogs, com muito carinho e respeito como sempre fiz. Um beijo e até de repente.

5 comentários:

Inês disse...

Oi amiga!
Bom saber que tu estás bem e pronta para encarar 2010 com muita força e otimismo.
Gostei de ler teu post.Volta e meia fico um tanto indignada com a falta de gratidão de algumas pessoas, as vezes me parece que tenho somente a obrigação de fazer, ajudar e ter meu tempo todo disponível para os outros...porém, de uns tempos para cá venho mudando muito tudo isso e fazendo o que eu quero, quando quero. Depois de tanta lambada a gente vai aprendendo, não é??
Um beijo e feliz 2010!!!

Renata Boechat disse...

Deixa isso tudo que te chateia pra la...tbm sou assim, entendo tudo que vc ta falando, mas nao quero mais nao...de hoje em diante vou querer a quem me quiser, pro resto, tchau!
Levanta essa cabeca, que nesse mundao da net ta cheio de gente que te admira!

Glorinha Leão disse...

Hehe amiga, assim que eu gosto...ripa na chulipa...eu, como não sou boazinha assim, já não me surpreendo com nada nem ninguém....(mentiiiiiiraaaaaa.......)neguinho vive fazendo os outros de gato e sapato e depois vem posar de anjinho...eu ein...tô fora...
A gente vê demais isso na rua, com amigos, parentes...quando falo que amo mais meus cachorros que gente tem uns que devem pensar:quanta soberba dessa aí...nem ligo...já tô pra lá de Marrakesh...
Beijos amor meu! te cuida...se a gente não cuida da gente...ninguém vai cuidar não....
Beijos.

Marly disse...

Welze,

Entendo perfeitamente o que você quer dizer, porque também sou assim.
O incômodo que eu sinto (sentia!), às vezes, com relação a isso, resultava do fato de eu perceber que algumas pessoas viam a minha ajuda - praticamente - como uma obrigação, como se fosse algo que eu lhes devesse.
Então, eu tive de dialogar comigo mesma e estabelecer o que de fato eu faço por prazer/solidariedade/desejo de ser útil e fazer diferença na vida das pessoas, e o que estava fazendo por mero senso de dever moral (meio que me sentindo forçada), para gente sem noção, que se julgava no direito de dispor de mim (do meu tempo/recursos e disponibilidade)de forma abusiva.
Resultado: Continuo ajudando, mas não deixo que me manipulem nem abusem. Quanto à gratidão, melhor esquecer! Faço por me sentir gratificada por mim mesma (minha consciência e a certeza de que tem de ser assim), os outros (os beneficiários de algum favor) que pensem o que bem quiserem!
O importante é a gente não permitir, jamais, que outras pessoas tenham o poder de afetar negativamente o nosso estado psico/emocional, pois isso seria fraqueza (de nossa parte).

Beijão e feliz 2010! (digo outra vez!)

Fla disse...

Queridona, sabe que se a gente for se importar com a falta de gratidão dos outros a gente não vive né?! Mas óh fica triste não, animação, alegria e deixa quem sabe agradecer de lado.
Feliz ano novo pra você.
E vamos tratar de nos encontrar né?!
Beijos