30 março 2010

ARMANDO NOGUEIRA, ADEUS


A ÚLTIMA NOITE


Maracanã, enfeita de bandeiras tuas arquibancadas que hoje é dia de festa no futebol. Encomenda um céu repleto de estrelas. Convida a lua (de preferência, a lua cheia). Veste roupa de domingo nos teus gandulas. Põe pilha nova no radinho do Geraldino. E, por favor, não esquece de regar a grama (de preferência, com água-de-cheiro).
Avisa à multidão que ninguém pode faltar. É despedida do Zico e estou sabendo, de fonte limpa, que, hoje à noite, ele vai repartir conosco a bela coleção de gols que fez nos seus vinte anos de Maracanã.
Eu até já escolhi o meu: quero aquela obra-prima, o segundo gol do Brasil contra o Paraguai nas Eliminatórias do Mundial de 1986. Lembro-me como se fosse hoje. Zico recebe de Leandro um passe de meia distância já na linha média dos paraguaios. Um efeito imprevisto retarda a bola uma fração de segundo. Zico vai passar batido - pensei. Pois sim. Sem a mais leve hesitação, sem sequer baixar os olhos, ele cata a bola lá atrás com o peito do pé, dá dois passos e, na mesma cadência, acerta o canto esquerdo do goleiro paraguaio.
Passei uma semana vendo e revendo no teipe aquele instante mágico de um corpo em harmonioso movimento com o tempo e com o espaço.
E a bola, coladinha no pé, parecia amarrada no cadarço da chuteira.

Armando Nogueira


essa é uma das tantas crônicas que guardo desse que para mim, é um dos mais elegantes escritores de nossa época. Como é bom ler e reler seus artigos, frases e crônicas! Como ele fala e escreve para gente como a gente! Como é fácil se deleitar com seus comentários tão justos e oportunos! Como é gostoso ser sua fã! Agora ele é lembrança, mas como toda lembrança boa e carinhosa, ficará para sempre e como toda boa lembrança, estará sempre em minha memória. Para sempre.

2 comentários:

Carla ♥♥♥ღ disse...

As vezes sinto falta de algumas coisas engordativas hehehehe..
Mas quando faco esse bolo soh como uma colher de sopa...nada de exageros...

beijinhos

Gina disse...

Meu marido acompanhou mais de perto a vida dele, pelo lado esportivo, e ficou muito sensibilizado com sua partida.
Admirava muito seu trabalho.
Fica o exemplo do seu jeito perspicaz e sutil de tornar tudo mais belo.
Bjs.