04 junho 2010

FÉRIAS!!!!!!! Ô DELÍCIA!!!!!!!


Adoro férias. Escolares ou de trabalho. Mesmo que não goze de nenhuma delas mais. Quando minhas crianças eram pequenas e estudavam, todo ano no período de férias escolares, tirávamos uns 15 a 20 dias, para sairmos em viagem por lugares deliciosos. Inesquecíveis.
Mas eu também tive minhas férias escolares. Inesquecíveis. Muitas lembranças boas, outras nem tanto, mas tudo inesquecível. Quando eu tinha uns nove anos e minha irmã Cassia, seus onze, íamos sempre passar o mês de férias de fim de ano, na casa dos nossos avós paternos, no bairro do Ipiranga, em São Paulo. Era de lei. Mas nossas férias mesmo, só começavam depois de fazermos faxina na casa dos avós, sob o comando da tia Glória, irmã do meu pai, solteira que morava lá. Era um Deus nos acuda. Ela queria que em dias, tirássemos da casa, coisas velhas, revistas antigas, caixa de papelão, garrafas vazias, tudo que não sei porque, tinha sido juntado durante todo o ano. Parecia que ela juntava tudo aquilo, só para quando fossemos lá, tivéssemos o trabalho de jogar no lixo. Durante os primeiros dias de férias, só fazíamos serviço. Muito a contra gosto, é claro. Uma limpava a geladeira, outra o barracão de ferramentas do vovô, arrumávamos os guarda roupas, armários. Tinha um bendito de um armário, no hall do banheiro, que tinha umas duzentas gavetinhas. Ele era de madeira e tia Glória pedia que colocássemos papel forrando cada gavetinha. Isso era um céu para as baratas. Quando começávamos a faxina, era só baratinha que saia por todo lado. Mas fazíamos isso, sem muito problema. Tia Glória tinha muita lábia e sabia nos convencer que isso fazia parte das férias e das festas. À noite, sentávamos para escutar causos, histórias e contos de Portugal e sempre aprendíamos uma musica, uma brincadeira lá da santa terrinha de papai. Mas na última semana de férias, quando o papai se juntava à nos, o céu era o limite. Naquele tempo, os programas de televisão eram gravados num dia e só ia ao ar, uma semana depois. Uma de nossas diversões, com papai e mamãe, era ir aos teatros onde eram gravados esses programas, como o da Hebe Camargo, Os Quatro Trapalhões, O Fino da Bossa, Show dia Sete, Jovem Guarda e outros, e quando eram exibidos na televisão, tentar nos achar na telinha. Os jantares eram memoráveis. Em restaurantes grãfinos, sempre novos para nós. Papai nunca repetia. Assim conhecemos o Dinho's Place, O Gato que Ri, Fazzano, Do Papai e um que nunca mais esquecerei que ficava pertinho do canal Nove, TV Excelsior, se chamava Vikings. Era um sonho. Das comidas, sobremesas, frutas, acepipes e acompanhamentos, nos servíamos direto numa barca viking, de tamanho quase real, no centro do restaurante. Os garçons e garçonetes se vestiam como vikings, usando inclusive aqueles elmos com chifres, normalmente usados pelos vikings. Quando chegavam ao fim essas férias, voltávamos para casa já pensando na próxima. Com serviço e tudo mais. Tudo de novo. Adorávamos tudo isso. Bom lembrar.
(desenho de fredoneverything)

2 comentários:

Miriam disse...

Olá Welze,

Que delícia poder recordar a nossa infância com tanto carinho não é mesmo?
É muito bom ver que de forma e lugares diferentes vivemos um dia, mas com o mesmo carinho e aconchego das nossas famílias.
Acredito que apesar das Tias, Avós e tudo mais, fomos muito felizes...

1000 Beijokinhas

Glorinha L de Lion disse...

Eita que essa tia minha xará não era muito boazinha não ein? Botava vocês pra trabalhar nas férias? Croancinhas que tinham ido brincar e mudar de ares...ô coisa feia isso...muito boas suas lembranças queridona, vc devia escrever era um livro contando suas memórias cheias de coisas pitorescas e de tão boas memórias...beijos.