22 julho 2010

ARA! ARA! ARA!

Tem coisa que acontece com a gente ou com os nossos que nos deixam furiosos. Coisas que deveriam ou poderiam não acontecer. Como por exemplo o bendito descaso com que os atendentes e médicos dos postos de saúde tratam quem aparece por lá. Logo de início, já critico uma falta de seleção no atendimento. Penso que deveria ter na recepção, onde o doente, sim porque não acho que quem não está doente vá até um lugar desses. Ou pelo menos não deveria ir. Mas como estava falando, deveria ter no ato do preenchimento da ficha de atendimento, uma pessoa qualificada que observasse a real necessidade de atendimento para quem o está procurando. É de lascar o número de pessoas que procuram esses serviços para fugirem de seus trabalhos. Ficam horas nesses centros de atendimento médico, simulam uma dor qualquer e pedem atestado ou declaração de comparecimento ao serviço de saúde. Além de atulharem os locais de espera, dificultam enormemente o atendimento médico para quem realmente está necessitado. Se houvesse uma triagem com certeza muita gente não apareceria por lá. Outra coisa que tem que parar urgentemente, é o fato dos atendentes e médicos acharem, agirem e nos tratarem, como se o atendimento a nós concedido, fosse de graça. Como se eles estivessem nos fazendo um favor em nos atender. ARA ARA ARA. Será que eles se esquecem que diariamente pagamos por aquele trabalho, aquele atendimento? E os impostos que pagamos? Será que eles são tão desinformados que não sabem que o Brasil é o país que cobra os mais altos impostos de seus cidadãos? Ou eles tem memória tão curta que se esquecem disso? Fui com o Bruno, meu filho, num posto de atendimento médico da rede pública, perto de casa, na segunda-feira passada, pois ele caiu e bateu com força o rosto no chão. Ele trabalhou no período da manhã, mas depois do almoço, com a chegada de seu superior, este vendo a situação de seu rosto, sugeriu que fosse ao Posto de Saúde para tirar uma radiografia da cabeça, para ficarmos mais tranquilos. Fomos, chegamos lá exatamente 13h21min. Saímos de lá as 17h45min. sem que ele fosse atendido. Nem sequer queriam nos fornecer uma declaração de comparecimento e falta de atendimento. Aí foi demais para nossa paciência. Não sou de rodar a baiana nem proferir palavrões nem mesmo de falar alto em público. Mas foi demais da conta. Ficamos esse tempo todo lá por precisar dessa declaração de comparecimento e atendimento é claro, pois seria de praxe trazer o tal documento para a firma que Bruno trabalha. Tivemos de nos indispor com as atendentes para conseguir a tal declaração que muito a contra gosto, depois de mil telefonemas, uma delas disse com o maior pouco caso do mundo, que faria para o Bruno. Eu lhe disse que não só para o Bruno, mas para quem precisasse. É de matar de raiva. A pessoa que realmente estiver doente e procurar um desses atendimentos, sai mais doente ainda. Felizmente, Bruno já foi atendido, é claro, por médicos competentes e está tudo bem. Mas poderia não estar e a demora ou melhor, o não pronto atendimento, poderia ter causado algum dano à sua saúde. E nós, pagando impostos até para respirar. ARA ARA ARA, que coisa triste.

12 comentários:

disse...

Oi Welze,
Infelizmente, o que se vê, e a falta de competência, respeito com os outros.
Sempre falo, as pessoas devem se colocar na posição do outro e ver como gostaria de ser tratadas.
Tem pessoas, que acham que nunca vão precisar de nada.
Falta educação, humanidade, tudo..
Que bom que o Bruno já está bem.
Bjs a todos.
Regina

SUELY PERES disse...

Oi amiga, enfim consegui um tempinho para passar por alguns blogs, Realmente a saúde pública no nosso país deixa muito a desejar. Espero que o bruno esteja bem, não devemos brincar com determnados tombinhos, para não sermos surpreendidos la na frente.Beijinhos e uma linda tarde.

Leci Irene disse...

Boa tarde, amiga Welze!!!!!!!!!!!!!!! Senti falta de chegar por aqui nestes dias em que estive fora. Vou colocar em dia a leitura, copiar algumas receitas, ouvir alguns conselhos, etc e tal.....
Beijos e abraços

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

OI WELSE ESPERO QUE BRUNO ESTEJA BEM!!
MAS AQUI É A MESMA COISA VC VAI DOENTE E SAI MORTO DE RAIVA!
BEIJO

Amehlia Digital ! ® disse...

Wel!
Primeiramente, espero q o Bruno esteja melhor... física e psicológicamente... pq passar por uma tremendo descaso e falta de humanidade, passou da obrigação e do profissionalismo... e entrou na questão dos princípios.
E, me preocupa muito pois nem planos de saúde (onde se paga duas vezes, não é mesmo? Impostos e o plano) e o atendimento é de causar tristeza...
E vc está super certa de se manifestar aqui, pois assim vamos abrindo nossos olhos e dizendo não para essa falta de respeito.
Melhoras ao seu filhão!
Um bejim procê!

Marly disse...

Oi, Welze,

Essa situação é mais do que lamentável e enquanto ela existir a gente não acredita que o governo está fazendo todo o bem que ele afirma, não é verdade?
Por outro lado, os profissionais envolvidos têm mais é que abrir os olhos, pois os usuários também não estão se conformando mais com o descaso. Hoje mesmo, eu li no jornal que um homem de sessenta e poucos anos deu um tiro numa atendente de um posto de saúde, porque se sentiu mal tratado.
Beijinho e melhoras para o filhão!

disse...

Oi Welze,
Obrigada pela visita.
A minha filha adorou a frase do pavão. ,
Um bom fim de semana
Bjs. Regina

www.comtextosdavida.com disse...

Welze quem não tem educação ou repeito não deveria trabalhar com o público. As pessoas há muito já perderam a sensibilidade. O Brasil digo brasileiro precisa de educação em todos os níveis.
bjs Lais

Sonhadora disse...

Uau...
Eu já trabalhei na área de saúde, mas como Agente Comunitário de Saúde. Infelizmente, o PSF de minha cidade, continua o mesmo postinho de antigamente. Pessoas madrugam para conseguir uma ficha. Todos os dias são praticamente as mesmas pessoas. É uma vergonha.

Adorei seu comentário!
Eu te amo também!!!

Beijos e fique com Deus.

ELIANE TAVEIRA disse...

É lamentável e revoltante, amiga!
Espero que pelo menos seu filho esteja bem...
Se as pessoas se colocassem no lugar dos pacientes, com certeza não seria esse o atendimento!
Bjos

Eliane

ELIANE TAVEIRA disse...

É lamentável e revoltante, amiga!
Espero que pelo menos seu filho esteja bem...
Se as pessoas se colocassem no lugar dos pacientes, com certeza não seria esse o atendimento!
Bjos

Eliane

Glorinha L de Lion disse...

Oi queridona, é impressionante o descaso com a gente! Dá vontade de gritar e sir dando murros a torto e a direito. Essa gente está lá, sendo paga com o nosso dinheiro e ainda trata o povo mal desse jeito! É revoltante...pensei que aí fosse um pouco melhor, mas já vi que é em todo canto desse país. É triste viu, precisar de atendimento médico na rede pública! Mas ainda bem que o Bruno tá bem e foi só um susto, mas podia ser grave e aí? Coisas desse paisinho...beijos amiga.