24 janeiro 2011

QUERO MEU BETOI ! !


Ia tirar as capas das minhas almofadas para lavar, mas já era tarde, elas não secariam até a noite e não eu queria ficar na sala sem as mesmas. Principalmente sem a minha querida BORBOLETA AMIGA, almofada que ganhei que uma amiga blogueira. Justo ela, por me acompanhar pra todo lado, está precisada de um banho. Resolvi então deixar a lavagem para o dia seguinte pela manhã. Esse fato me fez lembrar de um outro. Uma das crianças da família, sinceramente não me lembro qual, pois nossas crianças vivam muito juntas e nós as mamães também, então a gente até se embrulha nas lembranças. Pois bem, como ia dizendo, uma de nossas crianças, tinha como companheirinho, um pedaço de cobertor feito do próprio cobertorzinho que usara quando neném. Para todo lado que ia, a criança levava seu BETOI, que era como chamava seu companheirinho. Tudo belezinha, não fosse o dia de lavar o tal do BETOI. A criança ficava embaixo do varal, esperando o seu amiguinho secar, com uma carinha AGUADA, como a gente falava na época. Uma outra das mamães, visto que sua criança na época de escolher um amiguinho para levar para o berço, escolheu também um pedaço do seu cobertor, já escolada com o que acontecia com a outra criança, não teve dúvidas. Cortou o cobertor em quatro partes, fez-lhes barras de cetim e assim fez quatro BETOIZES, um parecidinho com o outro, para, no dia da lavagem, a criança ficar com o suplente, sem se preocupar em passar horas embaixo do varal, com aquela carinha aguada. Deu um ótimo resultado. Lembranças de família.
imagem de adilson-amaral.

16 comentários:

»¤Þ䵣䤫 disse...

Meu noivo também esperava o "BETOI" dele secar em baixo do varal! kkkkkkkkkkkkkk... Bjos Welze!

Blog da Chris disse...

Por aqui a gente chama de cheirinho... rsrsrrrsr


bjs

Socorro Melo disse...

Oi, Welze!

Meu filho também tinha um betoi, que era uma toalhinha de mão, amarrada na chupeta, mas, não fazia questão de usar outras, pois, tinha várias delas, com desenhos do Mickey, Cebolinha, etc. Mas, ai de mim se esquecesse dessas toalhinhas quando viajava ou saía com ele pra algum lugar, kkk Doces lembranças.

Beijos
Socorro Melo

Andréa disse...

Acho que todo mundo já passou por essa fase, eu gostava de uma frauda e uma pena de galinha e ainda chupava dedo, rsrs.
Você e suas histórias é muito engraçada, rsrs.
Gosto muito de vir aqui, você é d+++!

bjs........

Lourdes Sabioni disse...

Amiga, eu sou tia avó e minha sobrinha com sua princesinha passaram uns dias aqui em casa e não é que ela tem um BETOI?
É uma fraldinha bordada que sem ela, nada de soneca...pode? Bjs

ELIANA-Coisas Boas da Vida disse...

WELSE KKKKKKKKKK SABE O QUE É PIOR É QUANDO O BETOL É ENORME E DEMORA A SECAR E A CRIATURA FICA EMBAIXO TODA MOLHADA ,MAS JUNTINHA DO BETOL!!! KKKKKKKKKKKKK

Gina disse...

Com meus filhos eram as fraldinhas, apelidadas de "gi". Era o polegar na boca e o "gi" pra cheirar...
Essa ideia de cortar o betoi é boa!
Bjs.

Maria Célia disse...

Oi Welze
Que interessante este fato. As minhas filhas nunca se apegaram a nenhum objeto em especial.
Bjo

Néia Lambert disse...

Que solução mais criativa essa de multiplicar os Betos, vejo tantas mães passarem apuradas, vou começar a dar essa ideia para todo mundo, rsrs.
Beijos querida Welze.

ADri@n@ disse...

ola, bom dia!!!
rsrsrsrsrs
eu tinha um pluto... lembra?? da disney?? minha mae sempre lavava tambem... mas eu nao gostava muito nao... gostava dele "cheirando azedo". rsrsrsrsrsr eu tinha mania de babar quando dormia... alias, aindda tenho.... rsrsrsrs
engracado, ne?? como a gente se apega quando crianca...
...
eu atambem amo borboletas... ja to imaginando a sua almofada... deve ser linda...
...
e vamos que vamos na contagem regressiva... TA CHEGANDO....
bjao e otima terca

Marly disse...

A sobrinha do meu marido tinha era um inseparável coelho de pano (fino, quase bidimensional, rsrs), sem o qual ela também não dormia, rsrs.

Um beijo e bom dia!

Noiva em Fúria disse...

Eu tinha o Ted, que depois virou o Menega, que com o passar do tempo virou o Meu Marido, ele é meu Betoi preferido, mas não ligo não dele tomar banho...
Mais uma boa dica, para nosso bebe vamos fazer vários betoizes...te amo...

amordelar disse...

Oi Wlze!

Me fez lembrar do meu irmão caçula! Ele tinha um cobertor de ursinho quando neném, o chamava de cheirão. Vivia encardido, porque quando minha mãe o lavava, o mundo ficava prestes a acabar. Conseguimos, depois d emuita procura, comprar um similar com um patinho, que não convenceu...Pelo menos amenizou um pouco as crises de choro. Esse do patinho ele chamava de "Bitituto", em outras palavras, o substituto. Ele tinha costume de ficar esfregando as pontinhas do cobertor na ponta do nariz até dormir e também na ponta do nariz da gente. Era uma graça. Teve também uma vez em que minha mãe viajou de ônibus com ele até uma cidade no Rio Grande do Sul, e por engano, o tal cheirão foi no bagageiro. O menino teve uma crise de choro que durou muitas horas. O motorista inclusive perguntou se não era necessário levá-lo ao hospital. Minha mãe pediu para pegar o cobertor no bagageiro e milagrosamente tudo se resolveu!

Muito bom trazer de voltas essas lembranças!

Te agradeço!

Um beijo

Rachel disse...

Hehehe...essas crianças!!!
Aqui em casa... meu filho cismou com selinhos de roupa, aqueles que ficam na parte das costas, geralmente no decote das roupas, sabe qual é...pois bem, ele ficava com ele entre os dedinhos esfregando...conclusão, tive por diversas vezes que fazer uma garimpagem com as roupas até da família por que o danado vivia perdendo seu selinho... já minha filha tinha sua fraldinha estampadinha à qual chamava de neném, ainda bem que só precisava ser estampadinha...rs!
Agradeço por ter reavivado lembranças tão gostosas!
Bjuss, um ótimo dia para você!!!

Sentindo e pensando disse...

quando eu era menina, não se tratava de BETOI. mas de uma bonequinha de pano cujo nome pra lá de sugestivo: sujeirinha, rsrsrs

Maria do Tacho disse...

Pois é amiga,todos nós temos uma ou muitas historinahs do tempo criança. Ou quando somos tias,mães, ou avos. rsrs A minha filha nunca foi muito apegada ao brinquedos.Uma vez ela ganhou uma boneca andava e falava.Ela tinha muito de medo! Ganhou com 2 anos e só consegiu bricar com a tal boneca depois dos 5 anos...era muito engraçado quando mostravamos a boneca ela chorava desesperadamente..... rsrs e eu caia na gargalhada.... rsrsrs

Um abraço cheio de cheirinhos bons!
Bjs
Maria