15 março 2011

FASES DA MINHA VIDA - BLOGAGEM COLETIVA

Tenho boa memória. Mas não consigo me lembrar de quando nasci. Não sei porque. Será que não estava lá? Brincadeiras à parte, participando da blogagem coletiva Fases da minha vida, acho que falarei sobre acontecimentos mais longínquos possível para de lá para cá, chegar aos dias de hoje.
Me lembro que quando tinha uns quatro anos, minha casa em Ipauçu estava passando por reformas no jardim. Eu não saía do pé dos pedreiros, achando que estava contribuindo de maneira vital para o serviço deles. Tudo ia bem até que numa passada atrás de um deles, levei com uma enxada na cabeça. Quase morri de tanto chorar. O pedreiro quase morreu de medo de ter de matado. Minha mãe ao me ver com sangue por todo lado, quase morreu de susto sem nem imaginar de onde vinha tanto vermelho. Mas, entre mortos (ninguém) e feridos (eu), todos nos salvamos. O pedreiro, depois de recuperar os sentidos, sim porque ele desmaiou, foi embora pois não conseguiria mais trabalhar naquele dia. Minha mãe e minha irmã, Nini, me levaram ao hospital que era ali pertinho de casa, onde entrei caminhando, com uma toalha de banho na cabeça, já encharcada de sangue, rindo e falando para todos o que havia acontecido. Ninguém se conformava com o ocorrido, muito menos com minha disposição em contar os detalhes mais sórdidos,tim tim por tim tim. Só chorei quando levei alguns pontos na cabeça. Essas lembranças, são devidamente confirmadas por minha irmã Nini. Aconteceu comigo. Só podia ter sido comigo. Logo logo conto mais aventuras sobre as FASES DA MINHA VIDA.

33 comentários:

Rachel disse...

Hehehehe... só podia ser você mesmo...rs, imagino o susto da sua mãe!
Adorei o texto... belíssima participação...rs!
Bjuss!!!

Vicentina disse...

Gostei de ler, pelo jeito vc foi uma menina muito levada rsrs. Quase mata o pedreiro.
Bjs e Bom Dia

Gina disse...

Do nascimento não se lembrou, mas a infância já demonstrava o estado de espírito alegre e bem-humorado que você sempre demonstrou.
Minha memória mais remota não é das mais agradáveis, mas terei oportunidade de contar nessa coletiva em outra fase...
Tenha um ótimo dia!

Anne Lieri disse...

Welze,cada coisa que nos acontece quando crianças!Uma história e tanto!Parabéns pela sua participação!Bjs,

www.comtextosdavida.com disse...

Que menininha sapeca!!! Ainda bem que consegue lembrar do passado pois poderia ter perdido a memória e matodo o pedreiro.(rsrsrs)
bjs Lais

Maria Inês Feijó disse...

Oi Welze!!É incrível como quando somos criança tudo é mais fácil, não é? Imagina se acontecesse isso depois de adulta??Ia passar alguns dias se recuperando!! Bjão

Beth/Lilás disse...

Ai, Welze, você tem cara de ter sido uma sapequinha na infância!
beijo grande, carioca

orvalho do ceu disse...

Olá, Welze querida
Meu desejo de hoje é que uma chuva de bênçãos seja derramada sobre VC e outra chuva de pétalas de rosas orvalhadas...

Eu também só me lembro do que me contaram... nisso combinamos... rsrsrs...
Bem, falando sério,vc foi muito amada pela preocupação da sua mãe quando se acidentou... isso deu pra sentir daqui...
Mãe (que é mãe) é mãe!!!
Muito alegre o seu post e vou aguardar outras histórias...

Carinhos fraternos em forma de orvalho sôbre pétalas de rosas...

Uma santa e abençoada Quaresma para VC.
Bjs natalícios

Marly disse...

Oi, Wel,

Só você mesma para me fazer rir com um assunto desses, rsrs. O pior é que isso me lembrou uma morte de criança, da qual tomei conhecimento. Tal tragédia ocorreu no sítio de uma ex-vizinha, e se deveu a golpe de um machado, que se soltou do cabo, enquanto um trabalhador o usava, atigindo a criança. Foi uma fatalidade muito triste.
Olha, tendo sido convidada para participar dessa blogagem, o fiz atrávés do meu quase finado blog sobre livros, pois ele também quer uma chance de 're' nascimento, rsrs:
http://saboreandooslivros.blogspot.com/2011/03/nascimento.html

Beijão e boa tarde!

Cucla disse...

Mama querida, sempre com suas memórias deliciosas....

ELENA ZULUETA DE MADARIAGA disse...

HOLA, GOSTURAS SEM TRAVESURAS:
AINDA SIGO AQUÍ E PERDOA QUE NON TE HAYA VISITADO ANTES, PERO APENAS TEÑO TEMPO ENTRE MÉDICOS Y MÁS MÉDICOS.
GUSTOIME MOITO A TUA ENTRADA.
ESPERO POCO A POCO PODER DISFRUTAR DE MAS TIEMPO Y PODER VISITAROS COMO ME GUSTARÍA.

GRACIAS POR TODO

BICOS

Mari Amorim disse...

Parabéns por sua participação!Assim vamos interagindo através dessa coletiva,o qual tb participo,
Boas energias,paz,saúde,e muito amor
Bjs
Mari

Sílvia Gianni disse...

Gosto muito dos seus posts. Leio todos, sempre! Esse especificamente foi uma delícia para ler e para recordar. Lembrei de ter feito algumas "artes" também. Não tão perigosas, é claro.Mas foi só puxar pela memória e lá estavam elas.
Bjos e boa tarde!

angela disse...

amiga...vc foi terrivel, bjs

Josy disse...

Welze querida, vc com certeza foi muito moleca quando criança, ainda bem que o pedreiro não teve um infarto com o susto que levou kkkkk O mais incrivel disso tudo foi o fato de vc ainda ter disposição prá contar o ocorrido como se fosse a melhor aventura do mundo.....só podia ser vc mesmo...adorei, e aguardo mais fases de sua vida que com certeza, são muitas...bjocas

Obscure Beauty disse...

ehehe, uma pessoa que não tenha feito destas marotices em criança... não passou por esta fase. Que susto deve ter sido!

As historias que se colhem numa blogagem colectiva ;)

beijinhos
Marta

Maria Célia disse...

Ei Welze
Levadinha, hein, dando susto em todo mundo.
Quero ler mais aventuras deste naipe.
Bjo

Eva disse...

Ai Welze eu adorei te conhecer mais, eu tb era levada mas acho que vc um pouquinho mais ehehhe, assim somos adultas com as pilhas das loucuras gastas né, tantas que fizemos no momento certo, heheh, bjinho, e boa semana querida, amo quando apareces la no blog.

Anabela Jardim disse...

Ai! Que susto deve ter sido hein? Coitado do pedreiro ...

Socorro Melo disse...

Oi, Welze!

Hehehe...

Não deu muito certo a sua atividade como supervisora dos pedreiros, né? kkk
Que susto, hein?
Estamos no aguardo de mais uma(s) de suas peraltices, kkk.

Grande abraço
Socorro Melo

Ana Falletti disse...

Rsrsrsrsrsrsrs você é ótima Welze!!!!! amei!!! bjs no coração!!

KINHA disse...

Olá Amiga

Adorei saber um pouco de sua história...
Vim agradecer sua visita e lhe desejar uma ótima noite!

Amanhã é dia de ESPAÇO DAS ARTES, vc não pode perder...

Bjoooooooooooo..............

http://amigadamoda.blogspot.com

Casa Decorada disse...

Tem uma surpresa pra você lá no CASA!

RUTE disse...

Tá sendo divertido demais visitar todas as participações. O seu então!!! De enxada na cabeça...(bom não devia ser motivo para rir, mas da forma que vc contou, só pode!).
E...adorei as frases introdutorias da postagem: "Tenho boa memória. Mas não consigo me lembrar de quando nasci."
Nem eu! E também tenho boa memória. Temos de fazer como a Orvalho, fazer uma regressão!
Welze, muito obrigada por ter decidido entrar na colectiva connosco. Gostei muito do seu bom humor.
Beijo além-mar,
Rute

RUTE disse...

Esqueci:
Sou contadora também!! Olha a sintonia profissional.

Valéria disse...

Oi Welze!
Você é mesmo uma contadora de causos, que delícia devia ser sapequinha, imagino a preocupaçâo de sua mãe e você toda prosa...rsrsrs

Lina disse...

Ola, levadinha da breca, hein?Eu também era assim, uma vez desci as escadas, dentro de uma caixa de plástico, tipo trenó, ainda me lembro da sensação e olha que faz tempo que eu tive 4 anos!Adorei o teu blogue e vou te seguir para compartilharmos ideias, obrigada pela visita!
Beijinhos

Luma Rosa disse...

Menina arteira!! :=))) Que belo susto deu em todo mundo!!

Bel Rech disse...

Muito engraçada sua história, como é bom recordar coisas que nos marcaram...adorei conhecer seu blog...

Macá disse...

Welze
desculpe, mas só agora estou chegando para ler os posts (e ainda faltam tantos) da Blogagem Coletiva.
Que menina mais prestativa essa não? Os pedreiros deviam estar adorando a sua presença lá rsrsrsrsr
Mas os pontos não a deixam esquecer a história não é?
um beijo

Zilda Santiago disse...

Muito bom Welze!!!kkkkkkkkkk
Fase de renascimento,pois sua mãe devia dizer|:Nasceu de novo!!Bjs e ssigo vc com a mesma alegria que narrou!!!

Maria Luiza disse...

Interessante, vc disse que morava em Ipauçu e eu nasci em Ocauçu, que significa casa grande em tupi também pq a família que fundou era Casagrande. Seu relato foi de amargar por causa do pedreiro também! Que incrível, não? Gostei imenso. Meu grande abraço! Desculpe a demora, mas são muitos para visitar.

soniaconslt disse...

Oi welze, ainda estou lendo as blogagens coletivas...
legal a tua história.
gostei como recepcionas teus seguidores, parabéns!
Vou ficar!!
bjus