22 outubro 2012

Por aí

Poa aí a vida tem andado com tanta pressa, que me cabe mais nas 24 horas que em algum tempo, alguém achou que fosse suficiente.
Por aí, ficam as lembranças, constroem-se as histórias e desenham-se as nossas memórias.
Por aí criamos contos, fatos, acasos, amigos.
Por aí, contamos com a força que vem de outro plano para superar as perdas e dar valor ao sorriso, ao abraço, ao amor.
Por aí, esbarramos na vida, com pessoas que nunca mais sairam do nosso peito.
Por aí, encontramos gente feliz, gente sofrida, que espera de nós um pouco de alento para a dor que vai-lhe no peito.
Por aí fazemos parcerias, criamos vidas, criamos particulas.
Por aí inventamos segredos e guardamos memórias.
Memórias felizes de um tempo bom que se foi e abriu espaço para outro tempo bom.
Por aí, aprendemos que o anoitecer e o escurecer não surgiram por acaso, são nossas valvulas de escape para termos coragem de começar tudo outra vez.
Por aí, estaremos sempre aqui.

2 comentários:

Lúcia Soares disse...

A vida é mesmo movimento. Temos que estar sempre por aí, aprendendo, dando, recebendo, rindo, chorando, vivendo, enfim.
Beijo, Cucla.

António Jesus Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho,
Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns,
decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar
siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.