13 maio 2013

O tempo e seus ensinamentos

Eu imaginava que era forte, o tempo me provou que não sou.
Eu imaginava que tudo passaria, mas não passou.
Eu tentei tocar o tempo, mas ele não permitiu.
Eu tentei desfazer dele, mas ele se materializou.

O tempo tem sido meu amigo, meu inimigo, meu conselheiro e meu braço protetor.
Com ele, tenho aprendido que o "tempo dele", não é o meu, é "dele".
Que por mais que eu deseje colocar uma pedra em cima de tudo, jamais isso será possivel. Pois, quando ele achar conveniente, ele vai me invadir com todas as lembranças que ele quiser que eu lembre.

Tempo, creio que passaremos mais algum "tempo" juntos.
Seja paciente, e eu prometo ser mais maleável.
Seja sutil, que eu também tentarei o ser.

Tempo, querido tempo.
Me ajude a não esquecer o seu rosto,
Me ajude a fechar os olhos e conseguir sentir teu toque.
Me ajude a não deixar que o esquecimento seja maior que você.
Mas também não permita que o sofrimento se estenda por muito "tempo".

Tempo, obrigado.
Obrigado pela memória.
Obrigado pela lembrança.
Obrigado pelo balsamo.

Obrigado.

2 comentários:

Andréa disse...

Olá querida,
a saudade dói não é?
O tempo ameniza a dor, mas a saudade cresce ainda mais.

Beijos, que Deus te abençoe muito!
Andréa

Brechique da Dodoca disse...

Oi, minha querida menina!

Andei meio afastadinha, mas penso que estou de volta.
O tempo é o senhor de tudo. E saudade não é ruim, é uma dor que às vezes maltrata, mas se a temos é porque o que faz falta foi muito bom. E isso deve consolar.
Tem épocas em que ficamos mais saudosos, nostálgicos... faz parte. Até que volte a serenidade.
Bjsssssssssss, quérida, Deus a abençoa!