07 janeiro 2010

guardando os enfeites


Hoje seria aniversário da mamãe. Nem me lembro quantos anos ela estaria fazendo. Não me importo em lembrar mais. Hoje é tradição em muitas casas, desarrumar e guardar os enfeites de Natal. Não na minha família. Como papai adorava os enfeites, ele mesmo fazia muitos deles e aniversariava no dia 17 de janeiro, então só depois dessa data, é que guardávamos os enfeites todos. Também, não me importo mais com isso. Não tenho mais deixado meus enfeites até o dia dezessete. Não é melancolia, longe de ser tristeza. É só por que assim resolvi . Logo pela manhã, depois de tomar café, já comecei a guardar os enfeites. Tudo arrumadinho para o próximo ano. Não me importo em fazer esse tipo de reverência para meus pais. Não mais. Não esse tipo de carinho.Faço outros. Sinto-os muito perto de mim, a todo instante. Penso neles a todo instante. Quando estou triste, pedindo colo. Quando alegre, dizendo pra mim mesma e pra eles, AH se vocês estivesse aqui. Mas não estou triste hoje, nem ficarei com certeza dia 17. São só dias de um mês. Como muitos outros. É, aprendi depois de muito muito tempo que, saudade sim, tristeza não. E depois, com a partida deles, ganhei anjos, defensores mesmo, lá em cima, que não tem pra ninguém. E sei que com o alto astral que eles, papai e mamãe tinham por aqui, com o animo e gosto por uma festa que sempre tiveram, sei que lá, hoje a festa está bombando. Com muitas bênçãos para nós, cá de baixo, que estaremos em oração por eles, mas com o coração calmo, tranquilo, apesar de saudosos.

6 comentários:

Fla disse...

Que lindo!!!
Um abraço bem forte!
Fla

Leci Irene disse...

hummm!!!!! Bom lembrar como coração!
Sobre os enfeites: tô com pena de guardar os meus! Acho que vou inventar motivo para fazer enfeites todos os meses...

Glorinha Leão disse...

Welze, minha querida...até que descobrimos umas diferenças! Eu odeio tudo o que se relaciona com casa, como já disse, gosto é de decorar, ver tudo bonito, comprar roupa de cama nova, mas fazer, não, ´não gosto de jeito nenhum....Que bom que vc gosta, tenho amigas que curtem, eu não...
Obrigada pelo colinho...eu aceitei a morte de minha mãe muito bem, pois ela estva muito doente e já com idade...e mesmo meu pai, acho que nunca tinha chorado a morte dele como ontem...foi uma espécie de catarse...aliás o blog tem feito isso por mim, exorcizo todos os meus demônios...
Olha, seus presentinhos foram hoje, por sedex!
Devem chegar aí no sábado. Me avisa.
Espero que goste, mas não repara...mas que foram feitos com muito carinho, isso foram.
Beijos amiga linda!

SUELY PERES disse...

Oi amiga, também sinto saudades de minha querida mãe que faria aniversário agora no dia 26, mais infelizmente ele se foi no dia 30 com apenas 61 anos que tinhamos comemorado com toda familia reunida e mal sabíamos que era também uma despedida, pq foi a última vez que estivemos com ela.É difícil, mais é a vida..todos passamos por isso. Beijinhos

Marly disse...

Pois, é, o tempo cura tudo, ou põe as coisas na perpectiva certa. Quero dizer que ele faz a gente entender que também a dor tem de ser racional, já que a imersão no sofrimento prolongado é prejudicial e pode virar (rapidinho) um vício!
É maravilhoso que você tenha tantas boas lembranças de seus pais; isso já é um bom legado deixado por eles.
Beijinho.

Adriana disse...

Estava vendo suas fotos do fim de ano , a "garibada" na casa rssss e rindo muito , meu marido está no quarto das crianças lixando os buracos que tampou ontem , e depois pintar. E ontem já guardei os enfeites do jeito que tá passando rápido já já pegaremos de novo rsss.
Querida um ano pra lá de maravilhoso pra vc, maridão, filhos enfim toda a familia, que esse ano seja um ano de 2010 realizaçoes.
Beijos.