14 janeiro 2010

minha meta - emagrecer

Aos poucos, lentamente, bem lentamente, vejo os ponteiros da minha balança mostrarem um peso mais baixo que da vez anterior. Muuuuito acanhadamente. Mas é uma vitória. É um estímulo. Balança é como professor. Quando você "tira" nota alta, foi você quem a tirou, mas quanto a coisa aperta e a nota vem baixa e em vermelho(no meu tempo era assim), foi o professor quem lhe deu nota baixa. Com a balança, acontece mais ou menos a mesma coisa. Quando você emagrece, diminui o seu peso, você emagreceu, mas quando engorda, aumenta o peso, é a balança quem mostra aquele absurdo. Mas não me engano com isso. Se piso na bola, sou eu a única responsável. Não posso culpar nem mesmo a data ou a companhia. Aliás, companhia para fazer dieta, é que não falta. Nunca ouvi tanta gente falar em dieta como nos tempos atuais. Em todo lugar que se vá ou que se chega, tem sempre alguém com esse assunto. Nas pistas de caminhada(ai que saudades), noventa por cento dos caminhantes fala sobre isso. Todo mundo tem um chá, um remédio, proibido ou não, um truque, uma simpatia, para emagrecer. É uma comédia. É uma graça. Todo mundo troca experiências, todos são meio que médicos, sobre esse assunto. Mas como de médico e louco todos nós temos um pouco, nesse assunto também aparecem aqueles loucos com as últimas novidades em matéria de emagrecimento, explicando timtim por timtim, como se emagrece rápido, como em uma semana se perde tantos quilos, como se fica todo durinho mesmo emagrecendo rápido, como é saudável tomar tal medicamento e emagrecer de uma hora para outra, mesmo que vire flor, quer dizer, não saia do vaso, e mais um sem número de ideias aloucadas. Mas meu buraco é mais embaixo. Vou devagar, de mansinho, não tenho mais vinte e poucos anos, não posso brincar com minha saúde. Se nunca brinquei, não é agora que vou começar. Não digo com isso, que pessoas mais jovens, podem ou devem fazer loucuras com a saúde, é claro que não. Saúde é uma só. A que você tiver aos 50, 60, ou 70, será o resultado daquela que você cultivou e respeitou durante os anos mais tenros. Nem adianta querer falar sobre ideias perigosas, mirabolantes que se vê por aí, ninguém quer ouvir. O negócio é emagrecer. Bom, estou de bem com minha balança. Aos poucos chego lá.

2 comentários:

Glorinha Leão disse...

Isso aí, amiga...eu é que não estou conseguindo, o calor não deixe...tome-lhe sorvete, sucos, qq coisa gelad...chopp..hummm
Estou sem ânimo pra fazer exercícios...não há quem aguente o calor que está aqui...vou fazer dieta...mas quando refrescar...
Beijos.

Leci Irene disse...

Eita mulher de força! Deus te ajude e a mim não desampare!!!!!!!
Tô sem coragem para levar avante minha dieta!

Beijos