19 abril 2010

Mais vermelho


CRAVO VERMELHO

(a ti, Isabel!)


Aquele cravo vermelho, lindo, que regavas
Na varanda, que era o teu jardim,
Flor, como as demais, de que gostavas,
Pareceu aperceber-se do teu fim!


Esgotou em lágrimas a água que lhe davas;
Tanto chorou que ficou seco e caiu.
Sentiu que eras tu que lhe faltavas:
- A tal flor companheira que partiu!...


E as orquídeas, que tanto admiravas,
Não sentem o olhar como as olhavas:
De folhas tristes, esvoaçam com o vento.

Como o cravo vermelho, comovidas,
Pela tua falta, estão envelhecidas
Num gélido Inverno antes do tempo!...


Fernando Reis Costa - Setembro de 2002

13 comentários:

Renata disse...

Que lindo e triste poema minha amiga!

Parece que foi feito pra alguem que se foi...mas que com certeza deve estar olhando as flores vermelhas lá, de um outro plano!

Receba meu abraço,

Lu Souza disse...

Poesia emocionante!
Bela homenagem ao dia Vermelho!
Bjos

Juliana Masselli Castro disse...

Adoro vermelho tb! Até meu note é vermelhinho... :)
Bjo!!

Marly disse...

Adoro cravos vermelhos!
Poema carregado de saudades!

Beijinho e boa semana.

Beth/Lilás disse...

Olá, Welze!
Então você foi de poesia nestes vermelhos!
Acho ótimo, poesias são sempre bem vindas.
bjs cariocas vermelhaços

Nath. disse...

Nossa, que triste... Um belo triste. Gostei muito do poema..
Um lindo dia pra ti!!
Xêro!!

Leci Irene disse...

Triste,mas um lindo poema! Adoro cravos vermelhos....

Fofinha !!! disse...

Oii

SAbe que tbm adoro vermelho... é uma cor feliz que te da animo... porem esse poema deixa triste..apesar de lindo.

beijos

Luma Rosa disse...

Que surpresa encontrar um poema do Fernando por aqui!! Adoro!! Veja este:

Talvez um dia, quem sabe!...
Possamos viver o nosso sonho
E acordar na mais feliz realidade!...

Talvez um dia, sim, a felicidade
Nos torne o dia-a-dia mais risonho
E passemos a ser felizes de verdade!

Talvez um dia, então... quem sabe!
O amor virtual, algo medonho,
Seja um real amor, não amizade!...

Talvez um dia alguma divindade
Em bom destino assim nos ponha
No mesmo doce lar da felicidade.

Talvez um dia, em tal unicidade,
Seremos "dois em um" no mesmo sonho.
E nesse dia, então, morre a saudade!...
***
Depois...
E esse dia chegou! Pois na verdade
Alguma divindade me escutou
E o sonho se tornou realidade!

Boa semana! Beijus,

Lilian disse...

Oi,querida. Espero que esteja melhor das dores.
Se cuida, hien?!
Bjks

Silenciosamente ouvindo... disse...

welze às vezes a tristeza também diz
muito. Gostei do seu dia vermelho,
eu tenho andado a pensar desistir,
porque a m/saúde (ou melhor a falta
dela) não me permite estar muito
tempo no computador, depois passo
muito tempo nos hospitais, a disposição fica de rastos...mas
esta semana ainda tentei, veremos
até onde vou, mas faço-o por vocês
que são tão simpáticas.
Beijinhos/Irene

Fabiola Neves disse...

É a cor da paixão.
É a cor do sangue.
É a cor da intensidade.
Força na peruca e vamo que vamo!
Beijinhos

Vicentina disse...

Gostei muito do poema.
Triste né...
Bjs