24 fevereiro 2011

OUVI POR AÍ

As caminhadas sempre exercem em mim um trabalho maravilhoso. Carregam minhas baterias para um dia todo de muito movimento, atividade e alegria. Imagino que começando bem o dia, dificilmente ele não continuará assim.
Porém, as vezes coisinhas comuns, sem tanta importância me deixam chateada. É claro que não por muito tempo, mas mexem comigo.
Hoje por exemplo, depois da caminhada, ao me dirigir à lotérica dentro do supermercado onde fica a pista de caminhada, ouvi o blá blá blá da atendente do caixa com duas senhorinhas que também efetuavam pagamentos. A moça queria porque queria que as pessoinhas comprassem jogos prontos, bilhetes, raspadinhas ou qualquer outro artigo à venda na lotérica. Mas a moça insistiu tanto, mas tanto e a senhorinha explicando até com uma certa dose de vergonha, que não dispunha de recursos para gastar com jogos. Dizia que o dinheirinho dela era contadinho e se ela comprasse qualquer jogo, mesmo uma raspadinha que fosse, faria falta para ela, a quantia gasta. Mas a moça não desistia e passou a falar que a senhorinha gastaria um pouquinho mas ganharia um montão e aquelas coisas que os vendedores falam. A senhorinha não sabendo mais como argumentar, comprou uma fração de bilhete e saiu de lá bastante preocupada. É CLARO, que eu não pude ficar quieta. Falei, com bons modos, para a funcionária que de outra vez, não insistisse tanto com os idosos, pois eles ficam até envergonhados em dizer não. Ao que a moça me respondeu que era por esse motivo mesmo que ela insistia com essas pessoinhas. Saí de lá danada da vida e apressei o passo para alcançar as senhoras. As cumprimentei e falei que presenciara o ocorrido e lhes disse que da próxima vez, se não fosse da vontade delas, elas que não comprassem nada. Uma delas me falou que era isso justamente que estava falando com a companheira naquele momento. Dizia que não pagaria mais suas contas alí pois sempre que o faz, se vê obrigada a possuir qualquer coisa. Sei que não vai adiantar, mas amanhã, falarei com o gerente daquela lotérica, que é meu conhecido, para que instrua suas funcionárias a serem mais delicadas com os idosos, sem deixá-los em situação constrangedora. Sei que não vai adiantar, pois as lotéricas vivem disso, mas vou tentar .

10 comentários:

Maria Célia disse...

Oi Welze
É um absurdo que certas pessoas fazem com os mais idosos, e eles nem sabem como cair fora da situação.
Você sempre presenciando momentos constrangedores de outras pessoas e tomando as dores, né, Welze?
Bjo

Beth/Lilás disse...

Ai, Welze, você é que nem eu, amiga!
Não posso ver injustiça, gente tentando trapacear, levar o outro no bico, que fico com vontade de me meter ou alertar.
Você fez bem em alcançar as senhorinhas e dar o toque, pois elas, devido aos bons tempos em que viveram
não têm maldade, mas têm que ficar aletas a esses tipos de golpes que certos estabelecimentos fazem pra cima dos mais velhos ou jovens desavisados.
É assim que contribuimos para um país mais justo, pelo menos é o que eu penso.
bjs cariocas]

Clau disse...

Boa tarde Welze!
Eu até sei a qual lotérica vc se refere...
Me sinto incomodada,qdo vejo alguma funcionária,insistir demasiadamente com as pessoas (e com os idosos,ainda mais),para fazerem suas apostas...
Algumas pessoas ficam mesmo constrangidas em dizer não.
Sem contar que tais atendentes falam alto demais.
Se a mega sena estiver acumulada então,pelo amor de Deus...
Vai ser mto interessante,se vc falar com o gerente.
Uma abordagem menos efusiva,para com os idosos,seria ótimo!
Abraço!

KINHA disse...

Olá Welze

Este tipo de atitude realmente nos deixam down e indignados ao mesmo tempo. Odeio este jeitinho brasileiro de ser...

Bjooooooooooooo.............

http://amigadamoda.blogspot.com

Josy disse...

Oi Welze

Já presenciei situações como esta em outros lugares e justamente com nossos idosos, e acho isso o cúmulo do absurdo, pois eles realmente se sentem contrangidos, é uma pena que essa cidadã se esqueçe que um dia ela tbém vai envelhecer. Fale mesmo com o gerente, se puder, eu faria o mesmo.

Uma coisa: adorei sua filha e as palavras lindas que ela deixa no blog dela. Tinha que ser sua filha mesmo né???...bjocas

Renata disse...

Minha amiga, parece que os idosos existem nesse nosso país para serem passados pra trás, sempre trapaceados e desrespeitados de alguma forma...mais uma vergonha! Fez você muito bem em se "intrometer" na situação, tomara que essas moças aprendam a respeitar os idosos que elas um dia serão!

Quero muito agradecer as palavras de carinho que voce me deixou, me fazem muito bem!

Um grande abraço,
Renata

ADri@n@ disse...

afff detesto esse tipo de coisa...
eu acho que perderia a "classe"... rsrsrsrs

bjso

Noiva em Fúria disse...

MAeeeeeeee;;;;quero participar da Blogagem coletiva....bjo

Lourdes Sabioni disse...

ara,ara,ara...amiga, como dizia minha avó : é o fim da picada!
Quem sabe voce convence seu amigo?
Beijos!

Inventiva disse...

Essa situação é mesmo constrangedora e sua atitude é pra la de positiva, parabéns por se preocupar com o bem estar alheio, mesmo de desconhecidos...Grande coração. Bj