24 abril 2011

COISINHAS DOS ARREDORES

Ontem falei sobre o SÁBADO DE ALELUIA, quando em casa, era costume, termos respeito por esse dia. A quaresma toda, eram dias guardados com respeito de quem perde realmente um ente querido. Fomos criados assim. Passei isso para meus filhos. Muitos dos comentários da postagem, diziam da falta desse guardar, respeitar, hoje em dia. Cada quá com seu picuá, como diria mamãe. Mas, que realmente são poucos que se lembram, respeitam ou guardam essas celebrações hoje em dia, ah isso são mesmo. Até muitos que se dizem católicos, não estão nem aí. E muitos não católicos, respeitam esses dias, por simplesmente serem pessoas educadas. Desde sexta-feira, a SEXTA-FEIRA SANTA, a SEXTA-FERIA DA PAIXÃO, meus vizinhos estão recebendo amigos, o dia todo, todos os dias. Como a casa deles não é lá essas coisas de grande, então, essas festividades acontecem na frente da casa, na calçada e rua mesmo. Pasmem, durmam com um barulho desses. DURMAM literalmente, pois o som, num volume totalmente inapropriado, de músicas de um gosto totalmente duvidoso, ou péssimo mesmo, acontecem até altíssimas horas. Pelas manhãs, temos algumas horas de silêncio para tudo recomeçar loguinho loguinho já na hora do almoço, para irem novamente até outras altas horas. E se dizem católicos. Fazemos, o bonitão e eu, a política da boa vizinhança, não reclamamos. Fechamos a casa e saímos para umas voltas ou vamos para a parte dos fundos de casa e ficamos por lá, vendo televisão ou num bom bate papo. Mas na sexta-feira à noite, foi demais da conta. A procissão do SENHOR MORTO, ia passar. Já as primeiras figuras da encenação despontavam na esquina, e no vizinho um RAP, com o som nas alturas e uma letra de morrer de vergonha, à todo vapor. Eu saí na calçada, a mãe da vizinha me cumprimentou e pediu que explicasse para sua netinha o que significava aquela procissão e as figuras, os soldados, que se aproximavam. Aproveitei o ensejo e disse que era um enterro e como tal, merecia oração e silêncio, muito silêncio. A senhora, então, se tocou e percebendo que eu ficara quieta em oração, pediu para a filha baixar o volume. Pelo menos naqueles instantes tivemos silêncio. Ontem, sábado, a FUNÇÃO recomeçou já pela hora do almoço se estendendo até hoje. Quaresma? Respeito? Que é isso?

3 comentários:

Gina disse...

Independente da data, respeito é sempre bom, quer seja pelo volume até altas horas ou pela qualidade das músicas...
Bjs.

Cucla disse...

Pois então né.
As pessoas em todo o tempo estão perdendo a referencia, a fé e o temor.
Será nossa missão passar essa doutrina aos nossos.
Estar em silêncio não é estar triste e sim em oração.
Isso mesmo, mandou a mensagem com classe.
Lá na minha região, está sendo difícil também.
Bjo

Valéria disse...

Oi Welze!
Este post complementa o outro do dia do descobrimento. O que importa mesmo hoje independente de feriado religioso ou cívico é ser feriado para curtir e infelizmente as pessoas só acham que estam curtindo quando estão escuntando músicas horríveis a toda altura, isso é geral seja onde for em que qualquer hora. É demais, um abuso! Menina como você screve heim? Fiquei sem internet durante 7 dias e chego aqui tem uns 10 posts para ler.rsrs Beijão!