04 março 2010

É PROIBIDO FUMAR. E AGORA?

Tudo bem, existe uma lei que proíbe neguinho de fumar em lugares públicos. Essa lei, para mim, seria totalmente desnecessária, se houvesse uma maior e mais ampla campanha de conscientização sobre os males já comprovados, causados pelo cigarro. O cidadão é que deveria se proibir de fumar por uma questão de saúde. Mas quem sou eu para sugerir uma coisa dessas. Nem de longe. Mas quanto a lei anti fumo, alguns acertos devem ou pelo menos deveriam vir logo em seguida dela ter sido aprovada ou imposta, pois muita coisa errada está acontecendo. Se não, vejam. Todo dia, ao ir para a pista de caminha, passo por uma Escola Estadual de Primeiro Grau, bem próxima à minha casa. Pois bem. Toda vez que passo em frente à essa escola, tem uma ou mais funcionárias da mesma, sentadas na calçada, do lado de fora dela, fumando. Quando volto, mais ou menos uma hora depois, as mesmas funcionárias se juntam a mais algumas colegas da escola e fumam calma, demorada e silenciosamente, sentadas na calçada em frente à escola. Isso acontece todos os dias. Eu passo por lá duas vezes. Isso se repete nas duas. E durante o dia todo? Quantas vezes essas e outras funcionárias dessa escola, param em sua tarefa diária, para curtir um cigarrinho? Nem quero falar de outros funcionários de outros lugares. Me fixarei nos dessa escola. Mas e aí? Como ficam as obrigações dessas funcionárias? Pela indumentaria, são monitores, ou seja , inspetores de alunos, ajudantes de cozinha ou as próprias cozinheiras, auxiliares da administração da escola, ajudantes gerais, ou seja, que cuidam da limpeza da escola. Como ficam todas essas tarefas e os alunos, quando esses profissionais, abandonam, ainda que por poucos minutos, suas funções? Será que estou cometendo uma injustiça e esses funcionários tem substitutos para fumarem sem com isso prejudicarem suas funções? Ou por outra. Será que eles aumentaram sua jornada de trabalho, para poderem fumar sem prejudicarem suas funções? E se acontece um acidente com algum aluno, que deveria estar sendo monitorado, cuidado, olhado pela monitora, justo na hora em que ela está fumando? Será que nunca aconteceu? Tomara que não. Mas será que estão esperando acontecer? Ou será que tem monitores de alunos, suficiente para cobrir a ausência daqueles que saem à rua para fumar? Se for isso, é certo com o contribuinte, a prefeitura ou governo aumentarem o número de funcionários admitidos, para que eles possam fumar com tranquilidade sem que os alunos, a merenda, a limpeza e todo o andamento da escola seja prejudicado? Não estou reclamando pelo fato de fumarem. Cada um sabe de si. Mas questiono o fato de estarem sem exercer suas funções quando o fazem. Questiono como contribuinte, que paga o salário desses funcionários, se é justo pagá-lo para que eles fumem. Isso é realmente queimar recursos, queimar dinheiro literalmente. E depois aparece gente na televisão reclamando ter sido descriminado em uma entrevista para alguma vaga por ser fumante. O empregador está de olho no tempo gasto pelos funcionários em fumódromos, que são locais que as próprias empresas destinam para uso dos fumantes. Eles criam os fumódromos, mas será que concordam com o tempo gasto neles? Pode ser que mais uma vez, esteja sendo muito cricri. Chata mesmo. Mas me incomoda, todo dia passar por aquela escola e o quadro se repetir.

3 comentários:

Glorinha L de Lion disse...

Welze, minha amiga, vc tem toda a razão! Sabe pq elas fazem isso TANTAS x por dia?
Pq são funcionárias públicas e sabem que NUNCA poderão ir pro olho da rua!
Vê se alguém que trabalha por conta própria ou para uma empresa particular pode se dar a esse luxo? Quer fazer mal a seus pulmões? Pois que faça, mas não no horário de trabalho! Fico revoltadad com essas coisas...minha empregada, é um ser sem noção de nada, abusada, folgada e totalmente cara de pau...pois ela fuma, e pára pra fumar laaaaaá em baixo da minha casa, nem sei quantas x por dia...se eu for descontar o tempo que ela fica parada fumando, ela não vai receber nada no fim da quinzena!

Esse pessoal mais humilde acha que nós, os pobres coitados da classe média que paganmos impostos altos e mantemos os salários de todos esses funcionários públicos e damos emprego a tanta gente, temos obrigação de aturar um monte de coisas...mas isso é pq ninguém reclama!
Tb fico danada com esse tipo de descaso...mas não tem ninguém pra cobrar, então fica tudo como dantes no quartel de abrantes...
Beijos!

Eliana Pessoa disse...

WELSE JÁ FUI FUMANTE HOJE GRAÇAS A DEUS E A MINHA FORÇA DE VONTADE Ñ FUMO MAIS!EU FUMAVA 3 CARTEIRAS POR DIA SÃO 60 CIGARROS IMAGINA EU AÍ NESSA ESCOLA PASSARIA O DIA INTEIRINHO NO FUMODROMO!KKKKKKKKKKKKKKK HOJE MESMO EU MORRI DE RIR NO MEU TRABALHO A CRIATURA QUE TOMA CONTA DO DEPOSITO DE PAPEL VIVE NO FUMODROMO TODO MINUTO QUE QUEREM ALGO DE LÁ TEM QUE CHAMAR A CRIATURA QUE ESTÁ FUMANDO EM ALGUN LUGAR!!ISSO IRRITA PROFUNDAMENTE QUEM PRECISA DELA PARA ABRIR O BENDITO DEPOSITO!!!
BJIM
(COMO ESTÁ SUA CUCLA ????
ESPERO QUE ESTEJA ÓTIMA!)

Danieli disse...

Concordo plenamente com você Welse! Tem muita gente que mata tempo de trabalho no cigarrinho! Ainda essa semana estava conversando isso com meu marido: vamos supor que uma pessoa fume uma carteira por dia no trabalho. São 12 cigarros, acho eu. A pessoa vai gastar 10 minutos, no mínimo, para fumar aquele cigarro calmamente. Significa um total de no mínimo 120 minutos, duas horas inteiras, das oito horas de trabalho por dia, que aquela pessoa vai passar fumando! E o que é pior: conheço gente que faz isso no trabalho e depois fica até mais tarde metendo hora extra (e sendo pago por elas) porque não conseguiu terminar tudo em tempo hábil.
Na minha opinião, o que estas funcionárias fazem é uma matação de tempo, além de um péssimo exemplo para os alunos, que podem não só ser induzidos ao fumo, como também achar que, na vida adulta, vale tudo por uma pausa para o cigarrinho, inclusive deixar de trabalhar.
Isso só reforça a opinião que eu tenho sobre a lei anti-fumo: quer fumar, fume em casa! Ninguém mandou se viciar a ponto de precisar de um cigarro por hora! Eu achei a lei anti-fumo o máximo, porque acho o fim da picada que nós, não-fumantes, não tenhamos o nosso espaço respeitado por pessoas que fumam. Afinal de contas, quando estamos em uma parada de ônibus ou caminhando na rua, eles acendem o cigarro deles, ficam lá baforando e azar da gente que não quer estar cheirando aquilo e acaba fumando passivamente. Eu ficou louca! Já estava mais do que na hora!
Beijos